fbpx

Fique por dentro

Notícias, eventos e artigos

4 Tendências Que Estão Transformando a Indústria

A cada século que passa, a face da manufatura muda sistematicamente. De fábricas têxteis movidas a vapor, a produção em massa e até inteligência artificial, os fabricantes estão adotando e sendo pioneiros em novas tecnologias. Graças a avanços dramáticos como automação, robótica, Internet of Things, TI e indústria estão agora intrinsecamente ligados. Mas no que devemos prestar atenção agora na indústria, que será algo inevitável em um futuro muito próximo?

 

1. Maior Variedade de Monetização

Segundo a IDC, as empresas de manufatura que tiram proveito de seus dados têm o potencial de gerar cerca de US $ 400 bilhões a mais em receita do que seus pares que não são orientados por dados. Para nossos clientes, a tecnologia abriu as portas para os fluxos de receita digital, permitindo que eles criassem novos modelos de negócios e serviços que não existiam cinco anos atrás. Esses “serviços” adicionais permitiram que eles estabelecessem equipes SWOT digitais que identificam Pontos fortes, Pontos Fracos, Oportunidades e Ameaças.

As empresas também estão mais bem posicionadas para abrir novas fábricas e gerar receita com novos serviços, como manutenção preventiva, modelagem 3D e operações inteligentes. Um grande exemplo é a líder de bens de capital CNH Industrial – que criou uma nova geração de tratores agrícolas conectados com um conjunto integrado de serviços usando dados que foram coletados durante a operação da máquina. Agora, com a telemática avançada (A comunicação à distância de um ou mais conjunto de serviços informáticos fornecidos através de uma rede de telecomunicações), os gerentes de frota têm um entendimento mais próximo do consumo de combustível e podem compartilhar esses dados com os fornecedores.

 

2. Colaboração

A inteligência artificial está em toda parte: em nossas redes, nossos datacenters, nossos dispositivos e em todos os aplicativos que permitem a colaboração entre pessoas e máquinas. De fato, de acordo com a Harvard Business Review, 75% das organizações acreditam que seu sucesso no futuro dependerá da colaboração entre inteligência humana e de máquinas.

Os fabricantes tradicionais de robótica estão criando processos “enxutos” novos e evoluídos, que ajudarão os técnicos de serviço a otimizar as tarefas, diminuindo o desperdício e as ineficiências, ao mesmo tempo em que fornecem melhores serviços aos clientes. Por exemplo, a fabricante de empilhadeiras Toyota Handling Europe está desenvolvendo seus tradicionais processos lean como parte de seu plano de 10 anos para criar uma fábrica visionária do futuro. Seu objetivo é encontrar maneiras mais eficientes de distribuir a lógica inteligente em toda a fábrica e seus sistemas robóticos. Usando AI e realidade mista, pode treinar drones de pallets para reconhecer padrões, automatizar processos e aprender um fluxo em um chão de fábrica.

tecnologia na indústria

3. Produtividade

De acordo com uma pesquisa global da PricewaterhouseCoopers (PWC), 86% das indústrias esperam reduzir custos e aumentar receitas até 2021. Daquelas empresas que já adotam o modelo de indústria 4.0, um total de 35% esperam, nesse mesmo período, ganhos acima dos 20%.

As estimativas só devem crescer conforme o tempo, já que, hoje, novas tecnologias conseguem reduzir o Custo Total de Propriedade (TCO) de equipamentos de produção. Ainda segundo a PWC, algumas mudanças que permitem essa redução são as manutenções preventivas, que eliminam até 70% das falhas de fabricação, e as informações, que, quando baseadas em dados, aumentam a produtividade em até 30%.

Com o advento do IoT (Internet das Coisas), é possível que uma máquina torne uma linha de produção mais eficiente, analisando todo o trabalho em tempo integral e, assim, se antecipando às manutenções e diminuindo significantemente o volume de falhas.

Uma forma mais inteligente de trabalhar para otimizar os processos e reduzir desperdícios é a fabricação sob demanda, que reúne os princípios do Lean, onde a manufatura é mais enxuta, e o Just in time. Vamos explicar melhor: Atuar diante da filosofia Lean – desenvolvida pela Toyota – significa focar na redução de desperdícios, seja de tempo, produção, defeitos e qualquer outro processo que envolva a indústria.

Precisa de produção, de uma peça? Produza, solicite. Não precisa? Então não crie estoques. A ideia é que, ao usar apenas os recursos necessários, eliminam-se os desperdícios, consequentemente, melhorando a qualidade, o tempo e o custo de produção. O Just in time é mais um complemento para essa estratégia, já que determina que nada deve ser comprado ou produzido antes da hora. A matéria-prima chega ao local somente quando é necessária.

Trabalhados juntos, com suporte de automação e tecnologias, ambos conseguem trazer redução de estoques para as indústrias e custos desnecessários, consolidando fornecedores sob demanda, aumentando a eficiência e melhorando os prazos. O potencial humano, por sua vez, passa a ser explorado de forma mais proveitosa.

 

4. Sustentabilidade

Os fabricantes de hoje não apenas criam produtos, mas também ajudam a resolver alguns dos maiores desafios da sociedade, incluindo tornar os alimentos mais seguros para comer e tornar nosso planeta mais sustentável. Basta dar uma olhada na Bühler, uma líder suíça em sistemas de manufatura de processamento de alimentos – ela desenvolveu um revolucionário sistema de classificação óptica orientado por dados que pode melhorar significativamente as práticas de limpeza de alimentos.

Fortalecido pelo software e tecnologia de nuvem da Microsoft, e com base na avançada experiência em processamento da Bühler, seu novo sistema LumoVision é mais rápido e preciso que outras tecnologias de separação de grãos, eliminando 85-90% de grãos contaminados e tóxicos, comparado a 50% para máquinas de classificação convencionais. Acreditamos também que os avanços tecnológicos podem nos ajudar a entender melhor e abordar os problemas ambientais que o nosso planeta enfrenta.

Os clientes de fabricação que eu conheço já mudaram para um estado de rápida adoção e escala. Essas empresas são uma parte dinâmica de nossa economia globalizada, que já representa 17% do PIB global. É realmente impressionante ver o que esses fabricantes visionários podem alcançar, não apenas para suas próprias organizações, mas para ter um impacto positivo em suas comunidades e na sociedade em geral.

 

FONTE: Jean-Philippe Courtois, EVP and President, Microsoft Global Sales,Marketing & Operations at Microsoft

 

CONFIRA TAMBÉM AS PROFISSÕES DO FUTURO NO SETOR DE MÁQUINAS E FERRAMENTAS